poesia e prosa

Poema desbotado

flor-e-solidao

 

  Não existe amor que caiba aqui, é como melodias desafinadas, caras encarapitadas, machadinhas atropeladas, sem amor e sem fim. A solidão é um momento em que a alma entristece, mucha, inflama por dentro, sem volta ela padece, com dor e sofrimento. As ondas de um mar que trás lânguidas imagens de tardias passagens, com inspiração, dentro carrega a aflição, desbotando a rosa marcada pela paixão. E para quê ser o símbolo das cores, se há o desbotar de amores.

Anúncios

5 comentários em “Poema desbotado

  1. Pedro pedreiro penseiro esperando o trem
    Manhã parece, carece de esperar também
    Para o bem de quem tem bem de quem não tem vintém
    Pedro pedreiro fica assim pensando
    Assim pensando o tempo passa e a gente vai ficando prá trás
    Esperando, esperando, esperando, esperando o sol esperando o trem, esperando UM POEMA DE BEKA para o mês que vem.

  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk³³³³³³³… adorei luis, mais estou numa época desfavorável para escrever, mês q vem eu continuo.. askpokspaokspoaskopkposk =)

  3. gostei muito desse poema, lembra o ultra-romantismo
    ou romance de 2° geração, ta lindo beka muito bom, continue sempre assim, um bom futuro te espera!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s