inspirações e aspirações

A lua não me disse

 

      Fiquei-a contemplando por horas a fio, não pisquei sequer um dos olhos, a sua luz encandecia por entre a noite, ela estava cheia, mais com um breve olhar, piscou para mim. Me perguntei no que eu tinha acabado de ver, realmente ela tinha piscado para mim, esperei por mais um pouco pra ver se ela repetia o ato, a minha aflição era imensa. Eu previa que ela falasse algo, que me dissese algo íntimo, só pra mim, quem sabe um segredo, talvez declarasse meu horóscopo, me contasse alguma história de cometas e estrelas, ou até dedilhasse alguma canção de ninar para que eu dormisse ali, a sós, por mil anos-luz e me perdesse no tempo. Não era de se esperar que tudo que tinha se passado não bastasse de um interminável sonho, levantei-me sem muita coragem da cama, dei alguns passos e me encontrei em frente à janela, a abri e deparei-me com ela, lá estava, entorpecida com seu brilho e encanto, não esperei um sequer sonho para ouvir o seu canto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s